terça-feira, 1 de novembro de 2011

Beirada do mundo

A vida é mais viva nas torrente que desembocam na beirada do mundo
Corregozinho, que n'outras terras nada valeria, ganha força em rio de quedas poderosas
O mundo parece extremo

Uma nova velha história faísca o circuito em curto na beiradinha do planeta
Ideias em movimento energizam a pluralidade dos dias
O mundo parece síntese

As ideias ganham força e a vida toma concretude na energia das águas
E o processo supera a forma à medida que a desenha
O mundo parece possível...

4 comentários:

  1. Gostei! Não sabia que andavas escrevendo, guria!Abs!

    ResponderExcluir
  2. "O senhor vê: existe cachoeira; e pois? Mas cachoeira é barranco de chão, e água se caindo por ele, retombando; o senhor consome essa água ,ou desfaz o barranco, sobra cachoeira alguma? Viver é negócio muito perigoso..." Guimarães Rosa.

    ResponderExcluir
  3. O mundo parece possível e as palavras desenhadas e ilustradas, forçam-no contra a corrente...

    ResponderExcluir
  4. O mundo parece possível, enquanto na beirada. Ao caminharmos pro centro perdemos a referência e adentramos no denso. e nos sentimos pequeninos. Mas a esperança não desaparece...

    ResponderExcluir